Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información en nuestra política de cookies.

restauración

ficha técnica

(DES)FOCAGENS DA LITERATURA
(DES)FOCAGENS DA LITERATURA
(edición digital)
2014
220
978-989-51-2297-4
Unspecified
Portuguese
3,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

No

sinopsis

Trata-se de uma coletânea de ensaios críticos sobre textos de autores portugueses e brasileiros, poetas e ficcionistas, em sua maioria modernos e contemporâneos. O enfoque centra-se na importância das soluções estéticas inovadoras que os autores apresentam em suas produções literárias, por isso, a abordagem textual se caracteriza por uma postura analítica valorizadora dos contextos específicos de construção poético-ficcional. O título ? (Des)Focagens da Literatura ? procura apontar justamente para este aspecto fundamental da literatura: a liberdade com que ela opera suas relações com o real instituído, ao tramar formas para driblar as convenções e os condicionamentos, geradores de reflexos previsíveis. Assim, a operação realizada pela linguagem literária contém em seu gesto o impulso dúplice de acolhimento e rejeição, o que transforma a focagem em desfocagem. Revelação e ocultação simultâneas. Eis um dos maiores prazeres que a literatura pode nos proporcionar e é esse prazer que pretendemos compartilhar com os leitores a quem o livro se destina: jovens estudantes, professores, educadores, pesquisadores e demais interessados pelos estudos literários. A atualidade do livro justifica-se duplamente: pela escolha dos objetos a serem analisados e pela forma como se faz a análise, ao ser ressaltada a originalidade da linguagem narrativa ou poética. Para além do espírito irreverente que movia as vanguardas modernistas, nas primeiras décadas do século XX, parece-nos que a literatura é sempre impulsionada por um ímpeto contracultural tramado em seu fazer, tornando-a uma linguagem rica de contradições a serem perscrutadas pela visão crítica. Digamos que uma espécie de autoironia alimenta a escrita: o seu fazer se mostra pelo desfazer, graças à consciência do escritor em relação aos enquadramentos redutores que rondam o posicionamento de sua linguagem. É contra esses limites, diversos em sua natureza mas apontando sempre a uma instância de Poder, que a escrita move suas peças. Eis o que nos fascina na literatura, essa contracorrente a perpassar seu espaço de construção. Aqui fica o convite para o leitor seguir conosco nessa trilha, que não tem o propósito de ser definitiva nem absolutamente certeira. Ao contrário, os riscos da aventura incluem acertos e desacertos e um vagar permanente, aberto à acolhida de outros olhares.


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias