"Esta web utiliza cookies para facilitar la navegación por ella y para realizar análisis de su uso, incluida la elaboración de perfiles de navegación con fines publicitarios. Si continua navegando, consideramos que acepta su instalación. Para obtener información detallada sobre las cookies que utilizamos, incluyendo cómo configurar su navegador para rechazarlas, pulse aquí."

restauración

ficha técnica

NUM VIROTE
NUM VIROTE
(edición digital)
2017
256
978-989-51-9915-0
Epublication content package
Portuguese
3,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

No

sinopsis

(...) " - Longe, tão longe!... É. Se perto na' se resolve nada, logo tudo se m' há-de absol... (Emenda.) Julgando melhor: se perto na' se m' absolve nada, logo longe se me resolverá tudo. Mas tudo, mesmo. Suspira e (ex)clama... Em puto palhaço, depois equilibrista; (E jura.) vin-ci-tu-ro doravante. O clangor dos acontecimentos, o tinir d' Ipiranga, a independência autêntica, custe lá o que, a quem custar., fixado longe, muito, muito longe. Pego de pequeno. Frente a frente, olhos nos olhos, sem truques nem artimanhas. Toiros bravos com casta, mansos imprevisíveis e, ainda assim, porque (me) não pegaria eu nunca (a)o demais, porquê!... Cerra os olhos querendo dar-se (ao) tempo e com isso clarear(se), clarificando... Cava e lança, descava e lança-te Cuida, cuida-te e colhe Disso (des)coberta(o), pão, usucapião. Caso não, afianço que tolhe(mos). Letra miúda, deitada, desenhada como só os aparos sabem, a preto, sem pontinha de borrão nem emendas. Adesivo aos quatro cantos do papel costaneiro amarelecido do sol. Pardo, seco, assim o carapau pela marginal da Nazaré, os montões de jornais, livros, livrecos e revistas no meu sótão, a mão mal cheia de retratos de menino por entre o negro da cartolina e o frágil do vegetal baço. Roda e acocora-se no peitoril ao longo da montra de velha loja, a sentar-se. Perna direita traçada firma-lhe o trespasse do casaco sobre o peito. Saca daí caixinha em lata dividida em duas, de arrumação de mortalha e do tabaco enrolado nela com vigor-vagar e cuspe. - Olhe, desculpe, é de cá? - Não, não, de passagem; à procura... (Rem(e)ata para si.) Enquanto durar. - Logo vi., e sorri. (...) "


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias