"Esta web utiliza cookies para facilitar la navegación por ella y para realizar análisis de su uso, incluida la elaboración de perfiles de navegación con fines publicitarios. Si continua navegando, consideramos que acepta su instalación. Para obtener información detallada sobre las cookies que utilizamos, incluyendo cómo configurar su navegador para rechazarlas, pulse aquí."

restauración

ficha técnica

O MUNDO QUE NOS FAZ, A NÓS QUE FAZEMOS O MUNDO
O MUNDO QUE NOS FAZ, A NÓS QUE FAZEMOS O MUNDO
(edición digital)
2015
238
978-989-51-2912-6
Epublication content package
Portuguese
3,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

No

sinopsis

?O beijo é das melhores coisas desta vida, principalmente quando a entrega a essa troca de movimentos musculares é inteira. Não há redor durante um beijo verdadeiro. Estamos sós, mais nada existe, assim se pára o tempo. Confusões salivares, movimentos musculares, o mais puro de todos os ares que nos confunde a alma como se de uma transfusão espiritual se tratasse. Conspiração interligada, partilha encruzilhada, planetária emoção da transposição de barreiras virtualmente reais, vimos do nada, exactamente o sítio para onde vamos, como se de um ciclo corrupto se tratasse, mas nesta etapa de tão flagrante viagem, são os salpicos de pólen que sobrevivem ao tempo, é o ósculo. És muito mais bonita vista daqui, assim perto de nariz a roçar, peles coladas e pestanas quase enroladas. Lábios enroscados, olhos flamejados, mesmo que encerrados, é uma das formas de voar, como se de liberdade se tratasse. Línguas infiltradas, respirações descoordenadas, mesmo que desafinadas, é assim que uma orquestra celestial se consegue amestrar. É uma prosa poética esse beijo, é o versejo que rima mesmo que não entoe, que harmoniza mesmo que doa, suaviza a luta dos que permanecem em fuga, como se de uma abstracta amálgama de cores se tratasse, não é arte que se descarte, é a mais bonita de todas as formas de arte. É uma prosa poética, esse beijo.?


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias