"Esta web utiliza cookies para facilitar la navegación por ella y para realizar análisis de su uso, incluida la elaboración de perfiles de navegación con fines publicitarios. Si continua navegando, consideramos que acepta su instalación. Para obtener información detallada sobre las cookies que utilizamos, incluyendo cómo configurar su navegador para rechazarlas, pulse aquí."

restauración

ficha técnica

SOCIOLOGIA
O TRABALHO, UMA VISãO DE MERCADO
O TRABALHO, UMA VISãO DE MERCADO
(edición digital)
2016
128
978-989-8819-69-7
ENSAIOS DA FUNDAçãO
Epublication content package
Portuguese
2,49
(IVA inc)*
  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Imprimible: Prohibido.
Copiar/pegar: Prohibido.
Compartir: 6 dispositivos permitidos.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

Si

sinopsis

O Trabalho, Uma Visão de Mercado faz uma abordagem alargada da organização das relações laborais em Portugal. No topo encontra-se a sua segmentação, que raciona as oportunidades de emprego de forma ineficiente. A emergência dos contratos a prazo como forma quase exclusiva de entrada no mercado de trabalho, bem como a baixa taxa de conversão desses contratos em relações laborais duradouras, promovem o desinvestimento em formação e educação. A flexibilidade salarial que está associada aos contratos a prazo apenas agrava esta situação. Não se remunera o esforço, nem há retorno para os investimentos. Em Portugal leva-se demasiado tempo a voltar ao emprego. As características estruturais do desemprego são preocupantes. O desemprego é um período de investimento, mas pode tornar-se um pesadelo se for de longa duração. A duração do desemprego cria estigmas que levam a períodos sem emprego cada vez mais longos. A reduzida oferta de qualificações no mercado de trabalho é responsável por parte das dificuldades estruturais da economia portuguesa, que se traduzem em baixa produtivi-dade e fraco crescimento potencial. As baixas qualificações limitam, também, as oportunidades dos trabalhadores no mercado de trabalho e estão na génese de uma das maiores desigualdades salariais na Europa. A divergência da economia portuguesa deve-se à má qualidade das suas instituições. A sua transformação passa pela simplificação contratual, pela criação de um quadro correto de incentivos para os investimentos das empresas e dos trabalhadores. Este ensaio mostra um caminho possível. Com o mercado como parceiro.

Biografía del autor

Mário Centeno nasceu em Olhão. Doutorado em Economia pela Harvard University, recebeu o Young Economist Award da European Economic Association em 2001 e o Prémio de Mérito Científico da União Latina em 2006. É diretor-adjunto do Departamento de Estudos Económicos do Banco de Portugal. A sua área de investigação é a economia do trabalho, onde tem artigos publicados em inúmeras revistas científicas internacionais. Licenciou-se em Economia, fazendo parte do Quadro de Honra, e é mestre em Matemática Aplicada pelo ISEG-UTL. Fez parte da Comissão do Livro Branco das Relações Laborais em 2007. Exerce atividade docente no ISEG-UTL e no ISEGI-UNL.


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias