Utilizamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios. Si continúa navegando, consideramos que acepta su uso. Puede obtener más información en nuestra política de cookies.

restauración

ficha técnica

POESIA EXTRANJERA
PSYKHÉ
PSYKHÉ. (CONVERSAS COM A VIDA)
(edición digital)
2014
104
978-989-736-375-7
POESIA | POESIA
PDF
Portuguese
6,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Permitido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

Si

sinopsis

(?) Encontramos (?) um espelho quebrado, imagens coladas pela volúpia de olhos, a generosidade que não se vê, mas que está na via, na vida. Tenho uma lupa que ainda percorre a terra batida em busca de um pouco de alma. (?) PSYKHÉ apresenta-se como uma desmontagem lírica, a transação de símbolos de um mapa histórico. A(s) s(obra)(s): a taxonomia gratuita, um estojo de bónus e subtrações. Manuel Moraes não oferece fascículos para um promontório de sensações. São suplementos honestos, descartados da pressa, longe dos subornos. O autor carrega, dá um tiro de partida e chegada. Uma jogada lasciva, a roleta à mercê de um mestre, um bicho. (?) A poesia é um local para espicaçar, adormecer e assanhar. Porventura o oposto de travagem a fundo. Curiosidade possível. PSYKHÉ

Biografía del autor

O autor Victor Ribeiro, que se apresenta sob o pseudónimo manuel moraes, nasceu em Moçambique, nos idos de 60. A sua mãe, Amélia Ribeiro, trabalhava na livraria Progresso , em Lourenço Marques, e aí surgiu o gosto pelos livros. A Revolução dos Cravos trouxe-o, contrariado, em 1975, para Portugal, onde viveu e vive desde então. Começou a escrever ainda jovem, poemas e estórias, coisas de adolescente. Mas se o gosto cedo se revelou, somente a maturidade e o conhecimento o levaram, já depois dos trinta, a levar a escrita um pouco mais a sério. O autor é pai de três: Filipe, Mafalda e Beatriz. Todos, foram e são muito importantes na sua vida, inclusive na escrita, pois, além de poemas, o autor escreveu e continua a escrever estórias infantis, nenhuma ainda publicada: As dores de barriga da Dona Terra (conto em prosa, cuja acção se passa em África e que fala da importância da escola), "O Velho velhaco" (conto em poema de trinta e cinco estrofes, cada com cinco versos), "Odisseia de Natal", (conto em prosa, pleno de aventuras e com a preocupação de ensinar às crianças as tradições de Natal e os seus valores morais), O pardalito Nico , Macário, o guardador e Estória de uma rã que pensava que era um sapo , estas, pequenas estórias de duas/três páginas.    


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias