"Esta web utiliza cookies para facilitar la navegación por ella y para realizar análisis de su uso, incluida la elaboración de perfiles de navegación con fines publicitarios. Si continua navegando, consideramos que acepta su instalación. Para obtener información detallada sobre las cookies que utilizamos, incluyendo cómo configurar su navegador para rechazarlas, pulse aquí."

restauración

ficha técnica

EST. LIT. OCCIDENTAL: EPOCAS  / GENEROS
GUINEIDADE & AFRICANIDADE
GUINEIDADE & AFRICANIDADE. ESTUDOS, CRÓNICAS, ENSAIOS E OUTROS TEXTOS
(edición digital)
2013
336
978-989-736-202-6
ENSAIO | ENSAIO
PDF
Portuguese
8,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

Si

sinopsis

Contrastando com a vistosa luta de libertação dirigida por Amílcar Cabral com o percurso sinuoso do país no período pós-independência, a Guiné-Bissau tem conhecido e registado múltiplos fenómenos que a caracterizam, cumulativamente, entre outros qualificativos depreciativos, como um país pobre, um non State , um país instável, um país inviável, um narco-estado, um país falhado e, amiúde, como um país demasiadamente problemático. Ressaltam nítidas, destas contrastantes asserções, efectivamente dialécticas mas não necessariamente contraditórias, duas acepções que interpelam viva e persistentemente a Guiné-Bissau e aos guineenses, para além da própria comunidade internacional. De um lado, o passado histórico guineense e as modalidades de sua projecção na contemporaneidade histórica do país e, por outro, a resultante da forma como esta contemporaneidade histórica se articula com a emergência de uma nova entidade sociológica que é hoje a Guiné-Bissau, para o bem e para o mal, com todos os seus problemas e expectativas, certamente peculiares e diferenciados dentre as várias entidades e actores em presença, mas também com todas as suas contradições e clivagens, nomeada e inclusivamente as dinâmicas que comportam uma incidência secular, dentre as quais avultam as étnicas. Neste sentido, Guineidade & Africanidade: Estudos, Crónicas, ensaios e Outros Textos é, para o autor, uma contribuição desinteressada mas direccionada, que resulta de uma compilação, em livro, de vários escritos reflexivos da sua lavra, seleccionados pelo próprio, e que visam, antes de mais, proporcionar aos guineenses e aos amigos da Guiné-Bissau, em jeito de contribuição, um exercício de cidadania susceptível de ocasionar um maior conhecimento e uma maior compreensão dos meandros históricos imbricados e complexos em que perigosamente se agigantaram e se agigantam as equações do problema na Guiné-Bissau, sem dúvida, segundo o autor, o passo sensato e o primeiro na procura de soluções minimamente duradouras.

Biografía del autor

Leopoldo Amado nasceu em 1960, no Sul da Guiné-Bissau. Licenciou-se em História em 1985 pela Faculdade Letras de Lisboa - Universidade Clássica de Lisboa. Antes de voltar à Guiné-Bissau em 1989, concluiu em 1987 o Curso de pós-graduação em Relações Internacionais (Estudos Islâmicos) pela extinta Universidade Internacional de Lisboa e frequentou entre os anos de 1987 à 1989 o curso de mestrado em Estudos Africanos, no Instituto de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa. Na Guiné-Bissau, tornou-se investigador do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), tendo aí desempenhado também, sucessivamente, as funções de: Director do mensário "Baguera"; Director Comercial do Geta-Bissau (empresa privada);Vice-Presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos; Director da Revista Cultural "Tcholoná", única Revista Cultural então existente no país. Leopoldo Amado ainda trabalhou na Guiné-Bissau como consultor nacional e internacional, destacando-se, entre outros, os trabalhos em matéria de gestão de projectos e planificação estratégica, desenvolvidos com a UNICEF, PLAN INTERNATIONAL, PNUD, FNUAP, RADDA BARNEN e AMNISTIA INTERNACIONAL, para além das funções de correspondente e de comentador político da BCC, Rádio France Internacional, Voz de América, RDP África e RTP África. No além-fronteiras, com sede em Cabo Verde, e cobrindo outros países como Senegal, Guiné-Bissau, Gana, Guiné-Conacri e Gâmbia, trabalhou ainda como Director do SPHAC - Projecto da UNESCO para a Salvaguarda do Património Histórico da África Contemporânea, entre os anos 1995 e 2001. Posteriormente, em Portugal, antes de concluir um Doutoramento em História Contemporânea pela Universidade de Lisboa (2007), trabalhou como Secretário Executivo da Guineáspora (Fórum Mundial dos guineenses na Diáspora), tendo posteriormente regressado a Cabo Verde, onde, desde 2008 vem trabalhando como professor universitário junto a Uni-CV (Universidade Pública local), para além de outras funções que assumiu, concomitante e alternadamente, como sejam as de Coordenador de Curso de História (Chefe de Departamento) e de Presidente do Departamento (Faculdade) de Ciências Sociais e Humanas.  


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


comentarios de los usuarios/usuarias