"Esta web utiliza cookies para facilitar la navegación por ella y para realizar análisis de su uso, incluida la elaboración de perfiles de navegación con fines publicitarios. Si continua navegando, consideramos que acepta su instalación. Para obtener información detallada sobre las cookies que utilizamos, incluyendo cómo configurar su navegador para rechazarlas, pulse aquí."

restauración

ficha técnica

O HOMEM DO FATO NOVO
O HOMEM DO FATO NOVO
(edición digital)
2013
130
978-989-736-126-5
FICçãO | FICçãO
PDF
Portuguese
6,00
(IVA inc)*
  • comprar ahora

    tu libro al instante

  • Ver dispositivos compatibles
  • ¿Es la primera vez que compras un eBook? Clica aquí

Permisos sobre el eBook

Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.

DRM o protección anticopia (para saber qué es clique aquí)

Si

sinopsis

Uma obra de ficção, em que as suas personagens correspondem entre si, num universo de um sem-abrigo que, apesar de entrar nesse mundo degradante, conseguiu chegar ao sucesso. Quem é Paulo? O que o fez entrar pelo caminho da perdição? Do álcool? Trata-se de um sem-abrigo que, por carências afetuosas por parte dos seus pais, que se encontravam separados, se põe em fuga para a rua, onde procura as soluções para a sua vida futura, mas que infelizmente é apanhado nas malhas da sociedade, da exclusão social e da autodestruição do ser. A dado momento da sua vida, apesar das recaídas e das suas emoções mais ténues, consegue libertar-se e ser um homem de sucesso. Boa sorte amigo, a ti dedico este livro. Rui Ferrer Trindade

Biografía del autor

Nascido a 13 de setembro do ano de 1959, em Lisboa, frequência universitária em Ciências Sociais. Desde pequeno, com 6 anos de idade, já desenvolvia bons progressos no desenho, o que fez com que fosse apresentando diversos trabalhos evolutivos no desenho e na pintura, que foi transparecendo pelos trabalhos que foi expondo nas Escolas que frequentou, nomeadamente na Academia de Música de Santa Cecília, onde cedo se destacou. Pintor desde 1974, estudou Artes Práticas de Representação, especializou-se nas Técnicas de Artes Plásticas desde cedo, bem como depressa desenvolveu as suas próprias técnicas. Artista Plástico de índole Vanguardista e manifestamente contra o abstracionismo, sempre se mostrou ligado aos sentimentos e à crueldade da vida, mostrando e chocando os outros, com as suas atitudes drásticas descritas nas telas. Ligado às Artes, devido à influência do seu pai, o Compositor, Autor e Maestro FERRER TRINDADE, (autor de famosas canções, nomeadamente da Canção do Mar e Nem às paredes confesso ) e da sua mãe, a Compositora Dalila Trindade (autora de famosas canções, nomeadamente dos Olhos de Veludo ). Tem participado em inúmeras Exposições Individuais e Coletivas, em todo o País, estando algumas das suas obras expostas em inúmeras autarquias. É membro da S.P.A. (Sociedade Portuguesa de Autores). Esteve inserido em vários grupos ligados às Artes, destacando-se no Grupo de Artes Novas de Oeiras, onde demonstrou o seu talento artístico. Esteve ligado à Banda Desenhada de Oeiras, bem como ao Vitral e Caricatura, sendo também salutar, realçar a sua ligação à Música, onde também esteve inserido na sua juventude, numa banda de Rock e como Dramaturgo e Poeta, que sempre se prontificou desenvolver, com a realização de peças de teatro, nomeadamente De oferta só sai Burlão, mas de Burla também sai frustração , A Taberna dos Diabos , a monólogo teatral O Artista? , declamação de poemas em eventos sociais e tertúlias de poesia. Notoriamente um homem dedicado e vislumbrado pela arte da escrita, bom leitor e sensível ao conceito natural da natureza da pintura surrealista. Desperto para a atualidade política e social do País, sempre discreto nas suas atitudes naturais de um cidadão, com os seus direitos cívicos, sempre preocupado com a realidade e com tudo o que o rodeia. Escritor desde 2008, editou o seu primeiro livro, em 2012, O Buraco Negro de uma Depressão , virado ao problema que aflige parte da população portuguesa e mesmo da mundial. O seu segundo livro é uma homenagem a um homem, ao Paulo Fernandes, amigo pessoal, que atravessou a rua da amargura, como sem-abrigo e conseguiu atravessar fronteiras, vencendo barreiras nos campos espiritual, social e mesmo profissional. Todos nós devemos pôr os olhos neste exemplo e não criar preconceitos quanto aos sem-abrigo, mas sim apoiá-los a ultrapassar os seus traumas e os seus desaires enquanto humanos, nesta Sociedade controversa e exigente quanto aos seus parâmetros de oportunidade. Porque alguns de nós somos assim?


*Todos nuestros productos incluyen el IVA, ampliar información


otros libros del autor

O BURACO NEGRO DE UMA DEPRESSãO
lugar de edición: PT
año de edición: 2012
formato: PDF
páginas: 118
+ info

comentarios de los usuarios/usuarias